Vinil ao vivo!

22 de junho de 2013

Kid Vinil canta seus hits e conta boas histórias em DVD ao vivo

Por Vitor Diniz

      Neste DVD, gravado ao vivo em Novo Horizonte, no interior paulista, Kid Vinil e seu Xperience passam bonito a limpo, no palco da casa noturna Experience, a trajetória deste que é um personagem dos mais emblemáticos no Brasil, dos anos 1980, em especial.Os depoimentos de Kid trazem fatos importantes de bastidores do pop daquela década, em que seu Magazine fez muita gente cantar e dançar ao som de hits como ”Tic Tic Nervoso’’ e ”Sou Boy”.Passagens em programas de tevê, como os de Silvio Santos e do Chacrinha, são das mais curiosas nos esclarecedores comentários do cantor, radialista e jornalista, que recheam as doze músicas deste lançamento. Vinil ao Vivo, o DVD conta com uma das artes de capa das mais bem sacadas dos últimos tempos, e que ficou aos cuidados de Paulo Hardt. A produção e a direção são de Tirso Florence de Biasi. O som cru, fiel ao que a banda registrou em Novo Horizonte, garante uma ”pilha extra” nas músicas, sendo que ”Surfista Calhorda” (Replicantes) é das mais privilegiadas por essa pegada punk. Em relação à faixa, Kid aproveita para falar sobre Wander Wildner de forma elogiosa, e faz justiça a um artista que deveria ser mais bem aproveitado pela mídia por seu potencial e carisma.

 

Xperience é uma seleção paulista

No palco, Kid, com sua entonação marcante ao cantar, mostra como o punk clássico, e o pós-punk britânico o nortearam, mas a sua ligação com a Jovem Guarda parece forte em alguns momentos também. O senso crítico, sem perder a elegância, sempre escoltada por boa dose de humor é uma marca do cantor, que além do Magazine, fez parte do Verminose, e é considerado um dos ícones do rock paulistano. Ainda totalmente conectado ao que se produz de mais bacana no planeta e também na atual cena de São Paulo, Kid tem ao seu lado, no Xperience, músicos que fazem parte de algumas das mais interessantes bandas da cena local. Carlos Rodrigues, no baixo, é o eterno parceiro de Sandro Garcia, no Continental Combo e fez parte do Momento 68, entre outros projetos. Já na bateria, McCoy, do Crazy Legs, faz o link com o lado rockabilly de Kid. E Carlos Nishimiya, do Sufadelica, é uma atração a parte neste DVD, com seus solos sempre na medida certa.

 

artigo publicado por popmix
tags

Folk com tempero punk

19 de junho de 2013

Seán McGowan a nova voz de Southampton

Por Vitor Diniz

          Depois de uma grande exposição em torno da obra e da imagem de Jake Bugg, que teve seu disco lançado inclusive no Brasil, a Inglaterra descobre mais um promissor singer-songwriter.

Também fazendo o pop falar a mesma lingua que o folk, e assim como Bugg, extremamente jovem (vinte anos), Seán McGowan, por sua vez, representa a cena de Southampton, cidade portuária com cerca de 250 mil habitantes. O talentoso rapaz em questão tem tudo para ser a grande revelação britânica em 2013.

Seu violão, que dita sua pegada acústica  e seu estilo direto  e punk de cantar, nos fazem imaginar que tanta personalidade pode render grandes conquistas. Ele que têm sempre a colaboração de seu fiel escudeiro, Dean Paul em outro violão, será uma das atrações do Glastonburny Festival 2013.

 

 

 Joe Strummer o ícone de estilo!

            Depois de abrir shows do Shed Seven, quarteto competentissimo que teve seu auge na era Britpop, Seán McGowan

ganhou até de presente uma garrafa de Jameson de um seus ídolos, Sir Billy Braggy.

O garoto parece  ter bom gosto não apenas para a música e para uisque. Uma lata de Guinness em um de seus videos mostra que ele entende de cervejas também. Totalmente apoiado pela Fred Perry, está ainda atrelado ao que existe de mais bacana em termos de roupas.       Sua música, que é o principal, é o bastante para o sustentar como ”The Next Big Thing” e as inspiradas  ”This Old Town From” , e ”Never Let Us In”, e

seu ótimo EP( The People’s Music) mostram que o futuro pode ser mágico . Para completar o quadro animador, quando perguntado sobre quem seria seu ícone de estilo, ele sem hesitar respondeu,  Joe Strummer , lendário líder do The Clash ao lado de Mick Jones.

artigo publicado por popmix
tags

Connan Mockasin!

16 de junho de 2013

Popmix na Sucesso FM, destacou entre outros,  projeto indie da Nova Zelândia.
.
Da Redação
Ouça a edição de junho do Sucesso Popmix, que foi ao ar pela Rádio Sucesso FM. Neste programa destaque para  Connan Mockasin(foto), Jake Bugg, Savages e House Of Love.

artigo publicado por popmix
tags

O Hell Oh! e seu belo clipe!

10 de junho de 2013

Grupo lança vídeo gravado em serra do estado do RJ. Assista!
.
.
Por Vitor Diniz
.
O grupo Hell Oh!, coloca no mercado seu primeiro clipe. O trabalho que leva o nome da banda, é extraído do ótimo EP de estreia do quarteto e conta com a assinatura da Donunca Filmes e com a direção de Christian Costa. Gravado na região de Lumiar no Rio de Janeiro, o vídeo traz Bruna Porto como protagonista . Assista!

artigo publicado por popmix
tags

Rio de Janeiro

Vespas Mandarinas – 13/06/2013 – Espaço Sergio Porto

 Rio de Janeiro
O Terno – 13/06/2013 – Studio RJ
artigo publicado por popmix
tags

Leminski para todos!

4 de junho de 2013

Estrela Leminski fala sobre show , exposição e best seller de seu pai. Ouça!

Por Vitor Diniz

O seminal poeta, Paulo Leminski terá uma espécie de tributo em sua homenagem nesta terça-feira(4), em Curitiba. O evento marca o encerramento de uma grande exposição sobre Leminski no Museu Oscar Niemeyer.  ”Hoje a Noite Vai Ter Sol”, será realizado também no MON, e contará com a participação de Arnaldo Antunes.

Em entrevista gravada na capital paranaense, sua filha a cantora Estrela Ruiz Leminski, fala sobre estes eventos e sobre o livro Toda Poesia. Ouça!

artigo publicado por popmix
tags

Contra a Inglaterra o sabor é pop!

3 de junho de 2013

1984 e a primeira vez no Mário Filho


Por Vitor Diniz

Neste domingo , Brasil e Inglaterra se enfrentarão  no novo Maracanã , e é impossível para mim pensar neste duelo sem sentir um sabor peculiar. A primeira vez que fui ao Mário Filho, para ver a seleção jogar foi em 1984, justamente contra o English Team.

Antes contudo, em 1981, o primeiro grande embate que acompanhei do escrete canarinho pela tv foi também com a Inglaterra. Em campo, Sócrates, Zico e todos os heróis de um então garoto de nove anos (Paulo Roberto Falcão não foi liberado pela Roma,  para minha decepção). O placar? 1 x 0 para o Brasil, dentro do antigo e lendário estádio de Wembley. O autor do golaço? Zico, em seu tento de número 499. O de número 500 saiu no jogo seguinte, em Paris, contra a  França, com uma assistência genial de um certo “doctor”. Lembro que a molecada na escola dizia, no dia seguinte, que a Inglaterra jamais havia perdido para o Brasil naquele palco sagrado e que o sufoco foi tanto, que Waldir Peres foi nosso melhor homem em campo.

Mas, voltando ao dia em que debutei no Maracanã. Como estávamos em 1984, já começava a  ”pirar” com  a música e com o rock e já respeitava com acento beatlemaníaco os ingleses. Não sabia porém, que, não em Liverpool, mas sim em Manchester, uma ”nova ordem pop” estava surgindo e iria virar a minha cabeça pouco tempo depois. Também não imaginava que,  quatro anos mais tarde, estaria ali ao lado no Maracanãzinho, vendo o New Order fazer um show inesquecível no auge de sua forma.

 

Um Gol que ”Pelé” assinaria

A peça fundamental que plugou uma das passagens mais marcantes da minha ligação músico-boleira estava em campo: John Barnes, o ponta esquerda inglês, simplesmente fez fila em toda defesa brasileira e assinalou na trave, onde eu estava sentado atrás com meu pai na arquibancada, um dos gols mais lindos deste confronto. Leandro, craque  do Fla, e um dos mais estilosos jogadores que vi em ação, não pode fazer nada, assim como seus parceiros Ricardo Gomes e Mozer. A Inglaterra venceu por  2 x 0. Voltei para casa pensando como seria se esses caras fossem de fato tão bons com a bola como eram com as guitarras, como eu começava a constatar ouvindo Clash e The Jam graças a Fluminense FM, ligada em meus ouvidos no talo, por tabela, via minha irmã mais velha. A sequência me mostrou que os Brits eram sublimes nas melodias, mais questionáveis nas  tabelinhas e nos gols, e que tal confronto foi um indicador enganoso, pois até hoje seguem apenas com uma Copa em seu poder, embora ache o campeonato deles o melhor do mundo e Steven Gerrard seja meu craque favorito desde 2005.

E não é que John Barnes e o New Order me aparecem juntos, em 1990, em um clipe? O vídeo da música “World in Motion” mostra o ex-atacante do Liverpool e a banda do vocalista Bernard Summer  unidos pelo pop e pela bola. Algumas imagens usadas foram de um jogo da Inglaterra, adivinhem contra quem? Dunga, Branco, Mozer e companhia estão na história do New Order, pois aparecem neste clipe.

artigo publicado por popmix
tags