Alex Turner e mais uma visita

16 de junho de 2014

Um dos astros do rock mundial tocará no Brasil com seu Arctic Monkeys.

                                                                                  Fonte – Divulgação

Por Vitor Diniz

 Neste momento em que o Arctic Monkeys confirma oficialmente a sua vinda ao Brasil é quase impossível não resgatar a trajetória surpreendente deste grupo que, como poucos, virou rapidamente febre na Inglaterra, em 2005 e 2006, graças ao hype criado na internet e, principalmente, ao seu talento.

A banda de Sheffield vai tocar pela terceira vez em solo brasileiro, em novembro, e seu vocalista e guitarrista, Alex Turner, é uma das peças mais instigantes do rock atualmente, carregando consigo uma nítida evolução musical ao longo dos anos. Turner liderou com garra seu quarteto, desde o primeiro e badalado compacto, o histórico ”I Bet You Look Good On the Dancefloor”, em 2005. Naquela fase em que o Arctic Monkeys surgiu para vencer todas as listas cunhadas pela mídia especializada, Alex parecia ser mais um esperto garoto inglês, que, cheio de energia, boas tiradas e uma franja britpop na testa, nos mostrava um rock garageiro, que ganhava acento britânico extra, com seu jeitão de cantar. O primeiro disco do Arctic Monkeys, “Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not”, está entre as melhores estreias do rock inglês em todos os tempos e segue forte no mesmo patamar que os débuts de Oasis e Stone Roses entre os corações indies de todo o planeta até hoje.

       Um topete e um novo endereço

Depois de outros discos para lá de corretos em 2007 e 2009, o Arctic Monkeys lançou em 2011 o magistral Suck It and See. Neste trabalho, Alex Turner mostrou seu lado crooner e toda a sua devoção pelo cancioneiro pop de nomes como Scott Walker, Roy Orbinson e Jarvis Cocker. Músicas lindas de morrer, como ”She’s Thunderstorms” e a faixa título,  ajudam a fazer deste álbum um primor. No meio de sua corrida rumo ao posto de geniozinho do rock, o rapaz se uniu a outro talentosíssimo nome de sua geração, Miles Kane. E com seu amigo de alma mod, criou o The Last Shadow Puppets, projeto que rendeu um disco soberbo. Assinou depois sozinho a trilha do filme Submarine, com a mesma categoria.

A última jogada de craque de Turner? O novo disco de seu combo ”AM” é um discaço com ecos da música negra americana, mas com cheiro e pompa de um grande disco de rock. Um vinil de capa dupla que nos coloca a pensar nos áureos tempos da indústria dos LPs. Alex Turner foi morar em Los Angeles,  e, sempre cool, adotou um topete e um visual meio Elvis, meio Richard Hawley, outro herói de Sheffield e se firmou entre um dos grandes astros do rock. No dia 14 de novembro, ele fará com sua banda um show na Arena Anhembi, em São Paulo, e, no dia seguinte, repete a dose na Arena HSBC, no Rio de Janeiro. Sorte a nossa!

 

Popmix confere show de Richard Hawley na Holanda

Popmix e um show de Miles Kane em Manchester

 

artigo publicado por popmix
tags

7 de junho de 2014

São Paulo
Johnny Monster – 27/06/2014 – Sensorial Discos
.
Rio de Janeiro
Nando Monteiro – 9/06/2014 – House Of Music
.
artigo publicado por popmix
tags

Novos rumos!

Johnny Monster está de volta! Ouça novas faixas e uma entrevista com o músico paulistano.
.
.
 Por Vitor Diniz
.
Johnny Monster coloca no mercado  mais um trabalho, o EP Plaíne de Mongolíe, que em breve estará  disponível gratuitamente no Popmix. O cantor, guitarrista e compositor fará show de lançamento no dia 27 de junho, na Sensorial Discos, em São Paulo. Em uma tarde tipicamente paulistana, Johnny conversou com o Popmix, justamente na Sensorial Discos. E, em um  local em que a cultura das cervejas e da gastronomia estão conectadas aos vinis e a shows exclusivos, Mr Monster contou tudo sobre seu novo ”grito”. Ouça a entrevista  e quatro faixas!

Johnny Monster no Popmix em SP /2007

Daniel Belleza e Os Corações Em Fúria  no Popmix em SP /2005

artigo publicado por popmix
tags