Ele nunca andará sozinho

14 de janeiro de 2015

Febre de bola

Coluna mirada no mundo da bola faz um Raio X de Steven Gerrard!

Texto e fotos:Vitor Diniz

 

Agora que sabemos que Steve Gerrard vai seguir os passos de David Beckham e atuar no futebol dos Estados Unidos, é possível imaginar garotos americanos ou de todo o planeta envergando camisas com o nome do magistral craque inglês.

Neste momento em que Gerrard está prestes a encerrar, mesmo que parcialmente (para muitos ele voltará no futuro), a sua vitoriosa trajetória junto ao seu time de infância, é válida a reflexão boleira que não nos deixa parar de pensar no astro de 34 anos, como um dos últimos craques pensantes do futebol. No Brasil, mais do que em qualquer outro lugar, até os anos 1980 era normal que todo time tivesse, no mínimo, um mestre com as nuances do eterno camisa 8 do Liverpool. Só que no nosso mágico cenário oitentista esse homem geralmente usava a 10 por aqui! O cara que enxerga antes o “intelectual” do elenco, o pensador que sabe pisar na bola no bom sentido para cadenciar o jogo. O chute de longa distância, outra marca de Gerrard, também é algo raro nos dias de hoje. Meninos pensam em fintas e pedaladas, mas as vezes se esquecem que um arremate cheio de técnica é algo sublime no futebol, assim como um lindo lançamento  que pode ser mais bonito que um gol. O respeito por Gerrard nas dependências do Alfield Road é notável, como entregam as duas fotos lá registradas, em visita feita em novembro de 2013 e que são as duas últimas das três imagens desta matéria.

You Never Walk Alone

Steven George Gerrard é um tipico cara de Liverpool, tão identificado com a cultura do Merseyside, que não seria exagero cogitar se ele não seria a terceira persona viva com a imagem mais ligada à cidade de Liverpool, só perdendo para Paul e Ringo. Em relação ao seu time do coração, que ele tanto comandou em grandes triunfos então, talvez só o lendário escocês Kenny Dalglish e o goleador galês Ian Rush desfrutem de prestígio semelhante. O fato de Gerrard ter sido o protagonista inconteste da épica conquista da Champions League em 2005, o coloca entre os gigantes da história do futebol inglês. O quadro com a bela pintura de Gerrard que está em local de destaque no National Football Museum em Manchester, assinada por Robert Lally, e que está publicado no alto desta coluna , é mais um indicador da relevância do craque. Sua liderança e o seu amor pela mitológica camisa vermelha do clube da terra dos Beatles, e de outras grandes bandas como o Echo&The Bunnymen, The Zuttons e Gerry&The Pacemakers (”You Never Walk Alone”, você lembrou?), são algo que enchem os olhos de quem ama o futebol. Para melhorar a saída de bola do time, Gerrard que é também um artilheiro andou jogando até próximo aos zagueiros , lembrando por vezes um suposto líbero. Quis o destino em uma das maiores injustiças da bola, que, justamente ele, ironicamente escorregasse literalmente em um momento crucial do campeonato. Mas este acidente de trabalho não ofuscou em nada o respeito que sua torcida tem por seu capitão que sempre foi tão elegante com a bola nos pés. Os dois golaços assinalados por ele na histórica final da FA Cup em 2006 contra o West Ham estarão bem mais presentes sempre nas lembranças daqueles que têm o coração Red e que jamais deixarão seu ídolo andar sozinho.

 

 

Mais futebol – Ouça entrevista com Juca Kfouri no Popmix

Ganso ou Neymar?Por Vitor Diniz no Blog do Juca Kfouri

 

artigo publicado por popmix
tags