PIL na Flórida

11 de novembro de 2015

Moradora de Orlando conta como foi ver John Lydon&Cia.

A colaboradora do Popmix nos Estados Unidos, Silvia do Valle, foi conferir, no último sábado, dia 8 de novembro, o aclamado grupo inglês PIL (Public Image Ltd.), que se apresentou no The Plaza Live, em Orlando.

”Estava rolando um reggae legal, baixinho no fundo, antes do show que atrasou, mas quando eles subiram ao palco, John comprimentou os presentes e conversou antes de tocarem a primeira música. Depois, ao longo do espetáculo, ele reclamou um pouco sobre o som, se queixando de uma eventual reverberação. Nada demais, ele foi educadíssimo durante a noite”.

John, a quem Silvia se refere, é o lendário John Lydon, do Sex Pistols. O vocalista, que depois fundou o PIL, tem muita história para contar e, em 2015, com sua banda, lançou o álbum What The World Needs Now.

O grupo, que está em turnê pelos Estados Unidos, mostrou que também em Orlando conta com fãs em vários segmentos, como relata nossa amiga brasileira/americana, que fez também essas fotos legais para o Popmix.

”Tinha todo tipo de gente na plateia, isso foi bem legal. Tinha uma turma com ar meio gótico, tinha uns  arrumadinhos, também um pessoal mais jovem, mas predominantemente uma galera da minha geração entre 40 e 50 anos. Mesmo assim,  o espaço não chegava a estar lotado, mas o público estava em bom número, só que dava para dançar à vontade. Lydon parece estar se sentindo muito bem na America. Ele falou sobre a sua cidadania americana e quer voltar aqui” .

Em relação à oportunidade de ter visto o PIL ao vivo, ela avalia: ”Achei muito bom e superou todas as expectativas”, completa Silvia, que vive nos EUA desde 1990, mas que passou a apreciar o grupo graças à Fluminense FM, rádio que escutava direto no Rio de Janeiro da décade de 1980.

”Rise” cantada por todos

”Outro detalhe marcante foi sobre ”Rise”, a última da noite e a única música mesmo que todos pareciam conhecer e cantaram bem alto.”

A música é a segunda do Lado A, do disco Album lançado em 1986, por Lydon&cia. Silvia ainda tem sua cópia brasileira em vinil, comprada em uma loja do Rio. ”Rise” também ganhou ainda mais fama entre os brasileiros na voz de Renato Russo, no badalado Acústico, da Legião Urbana.

A médica veterinária, que na Universidade de Cornell, aumentou seus laços com a cultura rock graças a uma College Radio, lembrou do quanto o PIL influenciou muita gente: ”E até de bandas da atual cena eu às vezes me lembrava no show, como o Hot Chip, em algumas músicas que eles mandavam. Eu assisti o Hot Chip em julho, em um festival em Nova Iorque e fiquei com esta impressão”.

O PIL esteve no Brasil em 1987 e, na cidade natal da nossa correspondente da vez, o Rio de Janeiro, tocou no Canecão, em agosto daquele ano.

 

artigo publicado por popmix
tags

Os suecos da vez

2 de novembro de 2015

Disco de estreia do Amason é um dos melhores do ano.
.
Um dos discos mais bonitos dos últimos tempos vem da sempre produtiva cena pop sueca. Trata-se de Sky City, a empolgante estreia  do Amason, quinteto talentoso que ajuda a elevar a música pop a um patamar especial. Com dez saborosas faixas, o álbum é, disparado, um dos mais vendidos na Suécia neste momento.
Em meados do mês passado, colocar as mãos em uma cópia de Sky City não estava tão fácil assim, mesmo estando em Estocolmo, onde surgiu o Amason, justamente em uma capital que conta com tantas boas lojas de discos. Este vinil de capa dupla estava esgotado, tanto na fundamental Pet Sounds, em Sodermalm, bairro cool da cidade, quanto na Bengans, que fica perto da estação central e do coração de Estocolmo. Logo seus atenciosos vendedores diziam que chegariam novas cópias.
Esta passagem de cunho músico-geográfico  apenas sinaliza o quanto o Amason está se destacando com seu trabalho. Vale dizer que o álbum foi lançado em outros formatos também.
 Hit Grudento
Sky City começa super bem com ”Algen”, que traz uma introdução densa, mas que logo deixa espaço para algo mais dark talvez (anos 1980), que cede de vez o clima para um indie irresistivel. Na sequência, ”Duvan” é a prova do quanto estes suecos são habilidosos em termos de melodias, e o carimbo ”hit grudento” parece inevitável. ”Went To War” é de uma riqueza pop só, e é outra que nos deixa ainda mais na dúvida de qual seria a mais agradável canção do Amason.
A voz da cantora Amanda Bergman é um dos pontos altos desta banda formada visivelmente por grandes músicos. O Amason aposta no inglês, mas, também em sua lingua pátria, em algumas canções. ”Nós compomos músicas em inglês e sueco por alguma razão. Não é nada pensado, fazemos do jeito que vai aparecendo”. declarou Amanda ao Canal Bis no programa Minha Loja de Discos, que fez um especial com a Pet Sounds.
Boas ligações com outras bandas do rock sueco devem ser salientadas em relação ao Amason e são feitas através de alguns de seus componentes que já prestaram bons serviços a nomes como Dungen e a Miike Snow, por exemplo. O grupo está em turnê e vai fechar o ano com  vários concertos. Entre eles estão duas datas agendadas para dezembro, no belíssimo Södra Teatern, em Estocolmo.
artigo publicado por popmix
tags