Disco Vermelho

24 de julho de 2016

Ocean Colour Scene relança álbum fundamental

Ocean_Colour_Scene_Moseley_Shoals-500x500

Lançado em 1996, Moseley Shoals é um dos discos mais inspirados daquela década, que tanto ficou simbolizada pelo Britpop. O álbum, que agora acaba de ganhar uma edição comemorativa de 20 anos, é o segundo da pomposa banda Ocean Colour Scene. Formado em 1989,  na cidade inglesa de Birmingham, o grupo do super-guitarrista Steve Cradock  não fez tanto sucesso quando debutou em 1992, com um álbum que levava o nome da banda. Uma pena, pois trata-se de um ótimo trabalho, com direito a uma instigante cover de ”Do Yourself a Favor”, de Stevie Wonder. Mas, corrigindo qualquer injustiça, Moseley Shoals chegou às lojas do Reino Unido em 1996, para colocar, com toda a sua  força , seus autores em um respeitável patamar. Mais convidativo que seu antecessor, Moseley Shoals teve como facilitador mercadológico o então boom do rock inglês, que se encontrava a mil, com o estouro do Britpop, capitaneado por Oasis, Blur, Pulp, Verve e etc. Nesta edição, lançada no Record Store Day, o álbum duplo traz as duas bolachas vermelhas (assista ao vídeo abaixo que produzimos com a TV Zoom), e com um som que, por sinal, está maravilhoso. As guitarras de Cradock fazem a diferença e são marcantes nos riffs de ”Riverboat Song”, que abre, de forma roqueira e apoteótica, o álbum. A voz de Simon Fowler faz a bela condução por um dos passeios mais doces do indie/pop em ”The Day We Caught The Train” , a segunda faixa. Já a grudenta ”The Circle” fecha bem o Lado A do primeiro dos quatro lados vermelhos e seu clipe, com estilo mod, merece ser também apreciado. Lembremos que entre os vídeos da banda nada se compara ao clipe de ”Up on the Downside”. A música, que está em Mechanical Wonder, de 2001, por sua vez, é uma das melhores faixas que o Ocean Colour Scene já gravou.

 

Sonoridade marcante

Mas, voltando à Moseley Shoals, encontramos nele todos os sabores que um clássico deve conter e ”It´s My Shadow”, com a guitarra de Cradock mostrando que nasceu para a voz de Fowler é outro bom motivo para reiterar esta tese. Além do guitarrista e do vocalista, também marcaram muito a sonoridade do Ocean Colour Scene, outros dois músicos de mãos cheias: o baterista Oscar Harrison e o baixista Damon Minchella. Atualmente o grupo está em digressão, justamente com um espetáculo que celebra os vinte anos de Moseley Shoals e, até o final de 2016, vai se apresentar em várias cidades britânicas.

Em 2011, uma edição de luxo do disco foi lançada em cd com três peças, com B-sides e outros takes. Mas o prazer de escutar esta nova edição dupla com seus lindos vinis vermelhos que charmosamente estão ”recheados” com a esperta logo (uma das grandes sacadas do O.C.S é a graça de sua bela marca!) da banda, pode ser bem maior. Com as vendas altamente expressivas deste disco na época, estes ingleses, que lembram  Small Faces e Traffic, se tornaram uma das grandes bandas do rock inglês.

.

+ Confira a discografia comentada do Ocean Colour Scene

artigo publicado por popmix
tags