busca

+ Em plena forma

21 de março de 2011

paul-weller-find-the-torch-bu-522048DVD que traz filme e show de Paul Weller é um dos melhores lançados em anos na Inglaterra

 

 “Find The Torch, Burn The Plans” – Paul Weller

 05 

 

 

(mais…)

artigo publicado por popmix
tags

Paul Weller para americanos

16 de junho de 2015

Cultuado músico inglês lança disco na Filadélfia.
.
.
Paul Weller está  lançando seu mais recente álbum Saturns Pattern, com shows em vários países e, na etapa americana desta turnê, o concerto da Filadélfia, realizado na última semana, ratificou a grandiosidade de um músico que segue relevante e atual.
Nas primeiras filas, um simpático senhor dizia que acompanhava Paul Weller há vinte e sete anos. E o público, extremamente maduro e atento do ótimo Union Transfer, viu logo, de primeira, o Modfather mandar a novíssima ”White Sky” e abrir o show com sua banda em total sintonia.
Ficou claro neste concerto, que não só esta faixa, mas todas apresentadas do novo disco estão, de fato, redondas ao vivo. Em ”Saturns Pattern”, que dá nome ao álbum, por exemplo, Weller deixa sua guitarra e se dirige ao piano, colocado no canto do palco, para cantar com doçura, e  Steve Cradock, fino  guitarrista, faz com ele um jogo de vozes dos mais lindos dos últimos tempos. Famoso também pelo  Ocean Colour Scene, Cradock   se apresentou com um dress code impecável. O protagonista e ex-líder do The Jam e do Style Council  fez ainda uma tabelinha certeira com o baixista Andy Lewis, na grudenta e roqueira ” Long Time”.
.
Priorizando o disco da vez
.
Paul Weller não  fez aquele set acústico estilo Wings, no meio do espetáculo, que fez quando lançou seus dois discos anteriores.  Contudo duas músicas do obrigatório álbum Heavy Soul de 1997 chamaram a atenção  na noite da Filadélfia: ” Friday Street” e “Peacock Suit”,  que  foram brilhantemente apresentadas pelo classudo músico inglês . Mas  Paul Weller,  sempre, olha para frente e prioriza o disco da vez e  as sofisticadas baladas ”Going My Way” e ”These City Streets” foram muito bem aproveitadas. Outro momento mágico aconteceu quando Weller ao piano cantou ”Brand New Toy”,  lançada em um compacto para o Record Store Day. Para não dizer que ele não lança mão de suas  clássicas bandas, uma versão de ” My Ever Changing Moods”, do Style Council, eletrizou a fase final do show, que foi concluído com ”The Changingman”, música emblemática de seu aclamado disco Stanley  Road, de 1995.
Ver Paul Weller ao vivo sempre vale cada minuto, ainda mais com a abertura luxuosa de Hannah Cohen.
.
artigo publicado por popmix
tags

Na cola de Paul Weller

20 de março de 2012

Texto e fotos – Vitor Diniz

Paul Weller fez na noite deste domingo (18 de março), no Roundhouse, em Londres, o primeiro de cinco shows para lançar seu novo disco Sonick Kicks.

Dividida em três partes, a apresentação, que teve seus ingressos esgotados, começou de forma ousada, talvez até inédita. O músico tocou seu novo álbum na integra, começando por “Green”, respeitando a ordem das músicas. Essa foi a primeira parte totalmente dedicada ao novo trabalho, que entregou o ex-líder do The Jam dialogando com diversas vertentes, entre elas krautrock e reggae.

Na segunda etapa, um set acústico, com ”English Rose”, clássico do Jam e outras pérolas, fez até casais namorarem. Depois, o final muito aguardado, com músicas em versões quase punk, principalmente  “Wake Up The National” (de 2010) e outras, levaram os londrinos ao delírio. Houve até uma briga de duas mulhers na pista tamanha foi a loucura e o frenesi. Em ”The Changingman”, os mods de plantão pularam muito na pista da casa, situada em Camden Town.

Miles Kane no palco e Liam Gallagher na platéia

Já na noite desta segunda feira (19 de março), Paul Weller voltou ao mesmo palco e fez um show semelhante ao de domingo. A plateia estava bem mais comedida do que na noite anterior, porém um fato mudou tudo. O Modfather chamou um convidado especial, o atual darling do pop inglês Miles Kane, que fez uma aparição inesquecível, que contagiou com uma vibe roqueira os presentes . A música? “Echoes Round The Sun”. Miles e Paul juntos pareciam enlouquecidos no palco.

Noel Gallagher participou das gravações dessa faixa em 2008, e por falar nessa família, seu irmão Liam estava no segundo piso do Roundhouse, curtindo tudo.

Grande show e terça-feira tem mais!

+ Assista Especial Paul Weller no Popmix!

artigo publicado por popmix
tags Paul Weller shows

+ Paul Weller trará para o Tim Festival 2008 alguns capítulos do rock inglês

15 de julho de 2008

www.popmix.com.br 

Por: Vitor Diniz 

Referência para muitos nomes da geração britpop de Damon Albarn e Noel Gallagher, Paul Weller é uma das atrações já confirmadas para o Tim Festival 2008.

Um dos grandes compositores da música britânica em todos os tempos, Weller se tornou famoso ao liderar o The Jam entre 1977 e 1982. Sempre com grandes álbuns no mercado, consolidou uma bela carreira solo que se iniciou poucos anos após o término do Style Council, projeto no qual explorou outras vertentes musicais como, até mesmo, a bossa-nova, ao lado de Mick Talbot (ex- Dexys Midnight, Runners e Merton Parkas).

www.popmix.com.br      www.popmix.com.br

Se o público brasileiro der sorte, verá, ao lado de Paul Weller no palco, Steve Cradock, magistral guitarrista do grupo inglês Ocean Colour Scene, que costuma acompanhar o ex-líder do The Jam em seus shows.

Os discos “Stanley Road”, de 1995 e “Heavy Soul”, de 1997, são fundamentais para quem pretende mergulhar no universo do seminal compositor, isso sem falar que Paul Weller lançou um dos melhores acústicos dos últimos tempos. “Days of Speed”, de 2001, é, de fato, um primor, embora não tenha merecido a devida atenção. Já o recém-lançado “22 Dreams” confirma a vocação do músico para criar bons álbuns, sem jamais soar decadente ou pouco interessante.

Tudo nos faz acreditar que este poderá ser um dos grandes shows do Tim Festival 2008.

artigo publicado por popmix
tags

Para amar o The Jam

29 de junho de 2016

    Trio inglês ganha caixa com discos ao vivo e exposição em Liverpool

Agora Jam 1

 

A obra do The Jam parece viver um momento mágico, sendo revisitada de diversas formas. A recém-lançada caixa Fire&Skill, por exemplo, é um documento perfeito, para se ter noção do quanto o grupo foi genial e energético nos palcos e está nas lojas, com seis CDs ao vivo, e ainda com um belo livro e fotos exclusivas. Tudo com um tratamento de luxo, algo que tira do sério qualquer colecionador. Também acaba de estrear em Liverpool a exposição About The Young Idea, que esmiúça em detalhes todo o material ligado ao grupo de Woking. No final de 2015, a espetacular mostra pôde ser vista no colossal Somerset House, em Londres (O Popmix conferiu de perto) e ganhou matéria bacana por aqui, na Globo News, no programa Estúdio I. Os visitantes percorreram o saboroso universo mod e cool da banda com diversos itens, que deixavam os fãs visivelmente emocionados. Visitar esta exposição que agora fica até 25 de setembro no pomposo Cunard Building, na cidade dos Beatles, é um belo passeio por um importante capítulo da história do rock bretão e mundial. Ver de perto tantos itens raros e ainda instrumentos e diversas roupas usadas pelo grupo foi uma experiência e tanta para quem esteve lá. Torcemos para que a exposição venha para o Brasil!

E não para por ai! Nas últimas semanas, uma edição especial, com um vinil rosa do álbum Sound Affects, originalmente lançado em 1980, foi colocada à venda em uma campanha da rede de supermercados Tesco, na Inglaterra. A fase é ótima para quem quer se reconectar ou mergulhar de vez na obra do trio, que lançou grandes discos entre 1977 e 1982.

Paul Weller, o mentor intelectual deste lendário grupo inglês, categoricamente já afirmou que sua extinta banda não vai mesmo retomar suas atividades. O guitarrista, pianista e vocalista, que depois montou o Style Coucil, segue com uma respeitável carreira solo, e seus muitos admiradores parecem curtir tanto os seus imperdíveis álbuns, quanto tudo que anda sendo lançado sobre o The Jam.

A elegante banda, que ainda contava com o soberbo Bruce Foxton (baixo e voz) e com o preciso Rick Buckler (bateria), pode ser apontada como um verdadeiro patrimônio da cultura britânica. ”Algumas das maiores canções já escritas sobre a juventude por um britânico” – comenta Eddie Piller sobre as faixas do disco All Mod Cons, de 1978. O elucidativo depoimento de Piller, figura importante da música inglesa com a gravadora Acid Jazz, entre outros serviços, está registrado no documentário que leva o mesmo nome da exposição e conta a trajetória do The Jam através de relatos preciosos e participações marcantes, como a do ator Martin Freeman e do guitarrista Steve Cradock (Ocean Colour Scene e da banda de Paul Weller), além dos membros do Jam entre outros convidados, que só aumentam a importância deste produto. Na versão em DVD e em Blue Ray, o filme traz um disco extra com uma apresentação de 1980 para o famoso e germânico TV Show Live At Rockpalast. Isso sem falar em outros extras instigantes que completam este lançamento, que segue inédito no Brasil.

O mesmo acontece com o box Fire&Skill, que, diga-se de passagem, também é o nome de um CD tributo, que data de 1999, com nomes relevantes tocando hits do The Jam. Entre os artistas envolvidos naquele projeto estão Garbage, Ben Harper, Everything But The Girl e Liam&Noel Gallagher. E apesar de sempre ter sido mais idolatrado no Reino Unido do que nos EUA, a obra do The Jam ecoou por vários países. No Brasil, algumas das nossas principais bandas, como Ira!, Paralamas do Sucesso e Cachorro Grande (apenas para citar algumas), souberam olhar para a importância dos três ingleses. Por falar em trio, Herbert, Bi e Barone, regravaram ”Running On The Spot” no disco Longo Caminho, lançado pelos Paralamas em 2003.

Agora Jam 3

Agora Jam 2

Grandes shows em uma caixa

Fire&Skill, a linda caixa, traz 6 CDs gravados ao vivo, em 6 diferentes palcos do Reino Unido, um em cada ano, sendo que paralelamente também foi lançado um LP, com o show de Newcastle, que na caixa está em um dos CDs. Já os outros 5 CDs não foram lançados em LP. A caixa é mesmo especial por reunir shows emblemáticos do grupo do Modfather, como Paul Weller também é conhecido. O músico de 58 anos é um dos ícones de estilo e da moda no Reino Unido e sua grife, The Real Stars Are Rare, entrega toda a sua vocação fashion.

O primeiro CD do box conta logo com o famoso show do mitológico 100 Club em Londres no dia 11 de setembro de 1977, o ano da explosão punk. Live At The Music Machine é o segundo disquinho, que entrega o grupo inglês em 1978, já dialogando com outras vertentes e os destaques ficam para as irresistíveis versões de ”I Need You (For Someone)” e a clássica ”The Modern World”. O terceiro CD, com os britânicos tocando em Reading, em 1979, é daqueles que podem lavar a alma de quem adora The Who ou Kinks. A dobradinha com ”All Mod Cons”, ”linkada” à adorada ”To Be Someone”, deixa mais uma vez clara a competência da banda ao vivo. No show do dia 28 de outubro de 1980, em Newcastle, ” Monday” e a grudenta “Man In The Corner Shop” estão entre as mais inspiradas de um concerto dos mais pulsantes, tanto que ganhou a tal edição limitada em vinil que é vendida separadamente e no box ”atende” pelo CD 4. Live At The Hammersmith Palais é outro dos motivos que tornam essa caixa obrigatória. Correspodendo ao quinto CD, este show mostra, como em 1981, o The Jam estava norteado pela soul music e os metais estão lindos e com o som super em cima.

”Town Called Malice” pode estar sempre entre as melhores músicas compostas por Weller, o genial compositor que soube expressar com seu talento os sentimentos de toda uma geração. Essa faixa segue sendo nos shows do ex-líder do Jam, uma das mais festejadas quando é acionada, embora Paul Weller não seja refém de suas glórias do passado, e em seu set-list prioriza sempre, não só sua carreira solo, como o disco em que está lançando. (Leia matérias sobre Paul Weller no links relacionados).

Sensacional também neste disco, é a versão do trio para ” Big Bird”, do lendário músico americano Eddie Floyd. Chegando ao último CD, gravado em 1982, na mega Arena de Wembley em Londres, o The Jam, em sua fase final, não perde nem um pouco a sua classe e a famosa ”Start” abre bem os trabalhos. E se uma das marcas da banda era o entrosamento entre Weller e Foxton em especial, a atuação de ambos em ”It´s Too Bad” neste show é maravilhosa, com os impecáveis backing vocals, que tanto caracterizam o grupo em pleno funcionamento. Muitas vezes, vendo os intrépidos membros do Jam  em ação é fácil associar seus movimentos aos de Steve Marriott e Ronnie Lane, do Small Faces. A bateria de Buckler sempre eficiente era o suporte perfeito para a dupla de ”atacantes” brilharem na frente. E já na fase final, uma avassaladora atuação para um dos hinos da segunda geração mod, ”Down in the Tube Station at Midnight”, faz qualquer apreciador do bom e velho rock and roll não ficar muito tempo parado.

Apesar desta caixa compreender magnificamente toda a complexidade do The Jam ao vivo e ser neste sentido um item definitivo, os discos Dig the New Breed de 1982 e Live Jam que saiu em 1993, devem continuar em respeitáveis patamares, pois também são grandes registros deste mitológico grupo e sua capacidade de se amplificar nos palcos.

Vídeo sobre Fire&Skill exibido na TV Zoom

 

Veja mais fotos da matéria na página do Popmix no Facebook

Popmix acompanha Paul Weller lançando novo disco nos EUA

 

 

 

artigo publicado por popmix
tags

+ ESPECIAL LONDRES

8 de novembro de 2010

especial-londres-1Encontro com Paul Weller, a grife de Liam Gallagher e tudo que Londres pode oferecer à cultura pop!

 

 

 

 

(mais…)

artigo publicado por popmix
tags

Ele não para!

9 de maio de 2017

Paul Weller coloca novo álbum essa semana no mercado.

Paul weller Cartaz

 

Por Vitor Diniz/Foto:Diogo Simões

Paul Weller está de volta ao disco ! Um dos mais inventivos e aclamados músicos em atividade , o inglês de 58 anos vai lançar no próximo dia 12, A Kind Revolution. Sempre nos garantindo grandes trabalhos e soando relevante e atual, o Modfather como é conhecido coloca nas prateleiras britânicas nesta sexta-feira portanto este que é o décimo terceiro disco de uma das carreiras indiviaduais mais respeitadas da história do rock. Algo que impressiona nos trabalhos do mentor dos obrigatórios The Jam e Style Council, é a qualidade e a urgência de tudo que Weller lança. A capacidade de se renovar e o fato de não cair em clichês do mundo pop dão uma graça toda especial a tudo que leva a marca Paul Weller. Sobre esse disco, as faixas ” Nova” e ”Long Long Road”, foram as primeras a serem divulagas . Como entrega a foto do nosso colaborador Diogo Simões, o cartaz do álbum já aquece o hype em torno da obra pelas ruas de Londres. O álbum  sai com a etiqueta da Parlophone e conta com dez músicas ao todo, e ainda traz  uma capa super bacana que é outra marca dos trabalhos de Weller. A Kind Revolution já ganhou até cinco estrelas da pomposa revista Mojo.

+ Paul Weller para americanos

+ Popmix na cola de Paul Weller em Londres

 

artigo publicado por popmix
tags

Olhando para frente!

26 de maio de 2014

Paul Weller completa 56 anos e segue relevante e atual.
.
.
Texto e foto Vitor Diniz
.
         Um dos músicos mais aclamados pela mídia inglesa faz aniversário hoje(25/05). Paul Weller, que liderou o The Jam a partir do final dos anos setenta e depois, na década de oitenta, o The Style Council, chega aos 56 anos estampando a capa da importante revista Uncut e dizendo que não tem medo do novo. O genial cantor e guitarrista sempre olhou mesmo para frente. Sua carreira solo entrega  toda a sua coragem e pioneirismo. Weller jamais se apoiou no que fez no passado e sempre produz muito, trabalha como poucos artistas de sua geração. O Modfather, como é conhecido, lançará no próximo dia 2, More Modern Classics. Uma bela chance para quem não conhece bem sua obra mergulhar no universo deste nome que é fundamental para entender o rock inglês. O Popmix acompanhou alguns concertos de Paul Weller e ainda produziu um especial de tv dedicado a seu trabalho, tudo devidamente linkado nesta matéria, inclusive nosso encontro com ele!
.

.

.

Editor do Pop Mix encontra Paul Weller na Inglaterra

Assista especial Paul Weller no Pop Mix!

Em plena forma

artigo publicado por popmix
tags

+ Paul weller em Londres

8 de junho de 2010

 

paul-weller

O apresentador do Pop Mix, Vitor Diniz, acompanhou dois shows de Paul Weller. Confira a matéria no site do O Globo, no Rio Fanzine.

 

 

 

 

 

artigo publicado por popmix
tags

Cool Britannia

14 de setembro de 2016

Conheça algumas grifes inglesas que estão entre as mais bacanas do mundo!

as-11-grifes

Texto e Fotos- Vitor Diniz

Sinônimo de excelência em termos de rock’n roll, a Inglaterra é também um dos pilares da cena fashion mundial e o berço de vários estilistas que estão entre os mais respeitados do planeta como Paul Smith, Oliver Spencer, Stella McCartney, Alexander McQueen e Vivienne Westwood, entre tantos outros. Na terra de Mary Quant a música e a moda dialogam com perfeição. Da Swinging London de Twiggy até Kate Moss, a top da geração Britpop, as ruas , vitrines e os palcos da Grã-Bretanha ditaram tendências. Das escolas mais disputadas de arte e de design  saíram grandes nomes. No Reino Unido dos Mods, Punks, Indies e afins, ícones da música são também faróis do universo fashonista. O eterno David Bowie e o dândi Bryan Ferry, por exemplo, inspiraram diversos editoriais de moda. Por esses e por outros motivos, preparamos uma lista com algumas etiquetas das mais instigantes da Inglaterra. E para homenagear também um certo esporte que jogamos com os pés e que amamos, mas que os britânicos inventaram, selecionamos não dez, mas sim onze labels Made in UK.

 

dez-grifes-logos_-pretty-green

1-Pretty Green

https://www.prettygreen.com

– Liam Gallagher não perdeu tempo e há mais de cinco anos que sua grife é uma das mais sedutoras do mercado. As peças contam com acabamentos sensacionais e sempre oferecem boas sacadas. Roupas inspiradas em John Lennon e Jimi Hendrix são apenas alguns dos hits da Pretty Green que está em várias cidades do Reino Unido e ainda conta com uma loja em Tóquio. O nome da marca é o mesmo de um clássico do The Jam. Banda liderada por quem? Sim, por ele, o Modfather Paul Weller, que já teve uma linha de roupas junto a Pretty Green.

blaqua-menswear-1447163654

 

2-Blaqua

http://blaqua.net

– A loja que ficava na Newburgh Street fez história. E a Blaqua segue encantando os consumidores mais atentos do UK e do mundo com suas cores lindas e a certeira direção dos carismáticos Simon Green e Debbie Jeffery. As estampas e os tecidos para lá de especiais são produzidos em quantidade limitada. Músicos como Robyn Hitchcock e Paul Weller estão entre os astros que a Blaqua já vestiu.

dez-grifes-logos_-ben-sherman

3-Ben Sherman

http://www.bensherman.com/

– Super tradicional, a Ben Shermam, que fica na Carnaby Street, respira o estilo mod e a loja que a grife montou na Savile Row foi uma das mais bonitas que a classuda rua em que os Beatles fizeram a sua última apresentação já viu. Uma coleção com camisas calcadas em Roger Daltrey do The Who , Jarvis Cocker do Pulp e Bernard Summer do New Order foi um dos ”gols de placa” da Ben Sherman.

 

dez-grifes-logos_-merc

4-Merc

https://www.merc.com/

– A esquina que ocupava na Carnaby Street era um charme só, o sub-solo uma viagem pela cena mod através de suas roupas. Hoje o site da Merc garante ótimas alternativas para quem curte a moda focada na cultura pop. A camisa com a logo da marca fundada em 1967 é clássica entre os indies.

 

dez-grifes-logos_-fred-perry

 

5-Fred Perry

https://www.fredperry.com/

– Talvez a mais querida entre os amantes do rock, a Fred Perry virou uma espécie de símbolo do ‘British way of life’ e ao longo de décadas apoiou várias bandas. Linhas exclusivas foram desenvolvidas pela marca junto a nomes como Amy Winehouse, Paul Weller e The Specials. A lendária polo da Fred Perry é quase um uniforme nos shows mais interessantes do Reino Unido. A seção Subculture, no site da grife, é um belo suporte para diversos artistas. Atualmente, o selo conta com duas lojas no Brasil.

 

dez-grifes-logos

6-Belstaff

http://www.belstaff.com/home

– Jaquetas incríveis nos fazem pensar no melhor estilo ‘Rock&Roll Star’. Kate Moss , Rick Wilson do Kaiser Chiefs e David Beckham já exibiram as peças desta instituição que data de 1924. Cheia de personalidade em suas roupas, possui uma das lojas mais atraentes da New Bond Street e isso não é para qualquer um!

dez-grifes-logos_-westwood

7-Vivienne Westwood

http://www.viviennewestwood.com/en-gb

– As vitrines da estilista que ajudou a moldar a estética punk ao lado de Malcolm McLaren estão entre as mais procuradas da Inglaterra. Curiosamente, uma loja de Vivienne  está em um endereço ao lado do Cavern Club, em Liverpool além de outras em Londres, Milão , Los Angeles e outras praças.

 

dez-grifes-logos_-david-watts

8-David Watts

www.davidwattsclothing.com

– As fantásticas parcas com estilo mod são uma referência desta brand tipicamente inglesa, que carrega o nome de um dos hinos dos Kinks, que depois foi regravado pelo The Jam.

dez-grifes-logos_-burberry

 

9-Burberry

https://br.burberry.com/

– Claro que a icônica grife britânica dispensa maiores apresentações, mas seu projeto Acoustic, que acionou bandas como Hidden Charms e Keston Cobblers Club merece toda a atenção. Assim como a Burberry, tudo que os músicos registraram nestes acústicos remetem à elegância e à exclusividade. No Brasil a Burberry está presente com várias lojas!

 

dez-grifes-logos_-the-real-stars-are-rare

10- Real Stars Are Rare

https://realstarsarerare.com/

– Se tantas marcas se inspiraram em Paul Weller e fizeram parcerias com  ele, nada melhor agora do que o lendário ex-líder do The Jam e do Style Council capitanear este belíssimo label.

 

dez-grifes-logos_-lambretta

11-Lambretta

http://www.lambrettaclothing.co.uk/

– O nome  e a conotação da loja, já entregam a vocação estilosa desta grife, que, em sua cativante casa na Carnaby Street, nos permite fazer um mergulho no universo de bandas como The Who, Small Faces e The Jam . As parcas tipo Quadrophenia  e os lindos relógios  são impecáveis. Vale ficar atento às araras com as placas Sale, para achar ótimas peças com bons preços. Afinal, a cotação da libra é sempre um problema.

 

parca

 

Na Europa e nos EUA! Conheça dez lojas de discos muito especiais

artigo publicado por popmix
tags