news

Aretha Franklin

30 de agosto de 2018

Pedro  Branco fala sobre a rainha da soul music

 

O mundo perdeu no último dia 16 a soberba Aretha Franklin (confira álbum de fotos de Aretha Franklin no UOL, através dos links relacionados) e o lisboeta Pedro  Branco falou ao Popmix sobre a sua ligação com a obra da sensacional cantora americana. Pedro, que aponta Aretha como a sua cantora favorita, conta com ótimos trabalhos com suas bandas Pedro&Os Apóstolos e White. O guitarrista e vocalista, que vive no Rio de Janeiro, também entrega qual é o seu álbum mais querido, dentro da rica discografia de Aretha Franklin.

1-Como Aretha se tornou a sua cantora favorita?

-Aretha se tornou a minha cantora favorita quando escutei pela primeira vez, em casa de um tio, a gravação de Think… paixão à primeira! Simples assim.

02.Seria possível apontar dentro da discografia de Aretha qual seria o seu álbum favorito?

-Disco favorito: de longe, o LP I Never Loved a Man The Way I Love You,(foto) editado pela Atlantic em 1967.

03. E qual a faixa que mais simboliza a cantora ou a que mais te emociona?

-Impossível não me emocionar sempre que escuto a canção Dr. Feelgood (Love Is a Serious Business)…

+Veja no UOL álbum especial de fotos de Aretha Franklin

+Ouça entrevista com Pedro Branco falando sobre o seu trabalho

Confira abaixo  playlist do Popmix com 30 faixas  de Aretha Franklin

 

artigo publicado por popmix
tags

Travis em Oxford

9 de agosto de 2018

The Man Who na íntegra e vocalista no backstage

Cartaz Travis Diogo

Por Vitor Diniz

Fotos Diogo Simões

Um dos grupos que mais nos encantou com algumas das levadas mais cativantes na música pop, está na estrada com aquele que é o seu disco crucial como grande trunfo. Estou me referindo ao Travis e ao soberbo álbum The Man Who. A banda de Glasgow está em digressão com shows calcados em seu clássico disco, que chegou ao mercado de 1999.

O recente concerto do vocalista Fran Healy e de sua azeitada banda em Oxford fez muita gente se emocionar como entrega o nosso colaborador da vez, o jornalista carioca Diogo Simões, que ao lado de outros sortudos lo-ta-ram o vistoso New Theatre, refência de uma das cidades mais sedutoras do mundo, que transborda história e é o berço da fabulosa loja de discos Truck Store e de grupos importantíssimos como Radiohead e Supergrass. Aqueles que estavam no pomposo endereço, testemunharam o Travis em noite inspirada. “O show foi indescritível! Um dos seus Top 10 álbuns tocado na íntegra pelos próprios autores em um teatro maravilhoso e com a banda em sua melhor forma com o som perfeito, só pode ser indescritível”, enfatiza Diogo. Vale lembrar que o Travis segue com a sua famosa formação  e que além de Fran nos vocais , traz Neil Primrose(bateria), Andy Dunlop(guitarra) e Dougie Payne(baixo).

Travis Diogo palcoTravis Teatro

    Perto dos Fãs

Além de todas as faixas de The Man Who, com destaque para ”Driftwood” e para a irresistível ”Why Does It Always Rain on Me”, os escoceses tocaram ainda números de outros discos como “Sing”, que está em The Invisible Band, de 2001. A música foi responsável por um dos pontos altos do show, segundo nosso correspondente indie . Eles tocaram também ” All I Want to Do Is Rock”, que consta em Good Feeling, que marcou a estreia da banda em 1997 e é uma das mais empolgantes músicas de rock da década de 1990. Um grupo com vinte anos de história, que acaba de ganhar um filme (Amost Fashionable), e que, em 2016, voltou ao disco com Everything At Once, mostra sinais claros da sua relevância. (Leia a crítica do Popmix sobre o álbum Everything At Once nos links relacionados)

Com tanta bagagem pop que o Travis possui, para seus fãs, estar perto de uma banda desta envergadura, é algo sempre marcante e, em Oxford, foi tranquilo ter esse contato. ”Fran foi atencioso com todos no backstage, e foi muito bom poder agradecê-lo pessoalmente pelo álbum e pelo show épico que eu acabara de testemunhar”, relata Simões, que, desde 1997, está ligado na obra do combo de Glasgow.

Diogo colocou as mãos em uma cópia em vinil de The Man Who, que era vendida no show por 25 libras e que foi prontamente assinada pelo mentor do Travis. A turnê Travis-The Man Who 2018 segue com vários shows pelo UK e fecha sua temporada com uma apresentação em 19 de dezembro, em Manchester, e uma outra no dia 21, já pertinho do Natal, por sua vez em Newcastle. Veja mais fotos e vídeos feitos por Diogo Simões no Facebook do Popmix.

+https://www.facebook.com/popmixnews/

+Travis lança álbum de inéditas

+Travis participa do Planeta Terra
em SP

+Loja de discos de Oxford entre as melhores do mundo

artigo publicado por popmix
tags

Sacha Amback no Popmix!

24 de julho de 2018

Aclamado produtor e tecladista de mão cheia, Sacha Amback falou sobre suas diversas atividades! Ouça!

Sacha 2

 

Foto:Facebook Oficial

Por Vitor Diniz

         Sacha Amback  é um dos grandes tecladistas e produtores da cena brasileira e mundial. Recentemente, Sacha participou no Audio Rebel, do projeto Cinema Perigoso – Célula Mater com  Maurício Negão, Mauro Santa Cecília, Federico Bardini , Cabelo e Rafael Rocha.  Na casa localizada em Botafogo, no Rio de Janeiro, Sacha falou gentilmente ao Popmix sobre sua inspirada performance naquela noite, sobre seus instigantes trabalhos e definiu a experiência de tocar com o sensacional Ney Matogrosso como extraterrestre!
 
artigo publicado por popmix
tags

Encontro com a fumaça

19 de julho de 2018

Blackberry Smoke amadurece e muda um pouco de estilo

Blackberry Smoke LP

Foto:Facebook Oficial

Por Rodrigo Bastos Sant’Ana

 

Blackberry Smoke têm algo sobre rock’n roll que muitas das bandas atuais não sabem do que se trata. Talvez pelo fato de fazerem um rock de conteúdo, semelhante ao de artistas de outras gerações. Em seu novo álbum, “Find a Light”, o sexto da carreira, a banda liderada pelo vocalista e guitarrista Charlie Starr muda um pouco a estrutura de suas canções e apresenta um repertório com melodias mais elaboradas e refrões menos “pegajosos”; sua característica mais marcante. O disco começa com “Flesh and Bone”, um heavy blues que mostra como a voz de Charlie soa bem nas gravações. Um timbre tão distinto quanto o de Caleb Followill do Kings of Leon. Mas o som da banda vai mais na direção do country-rock com uma dosagem certeira de hard-rock.

Esse bando de cabeludos e barbudos de Atlanta, nos EUA, representam a nova geração do southern-rock e se orgulham da amizade com bandas que os influenciaram como os Black Crowes e o Lynyrd Skynyrd, os quais já abriram shows. “Lord Strike me Dead” lembra bastante seus conterrâneos Crowes da fase “Three Snakes and One Charm” (1996) começa com uma percussão e logo chega ao chorus com os tradicionais baking vocals femininos: “Lord, Lord These children have gone crazy/ Lord, Lord Please come down and save me”. Uma das canções-chave é “Medicate my Mind” que traz os melhores versos do disco, “I´m a stranger to this world/ But I keep on growin’”.

Este pode não ser um disco tão bom quanto “Little Piece of Dixie” de 2009 mas tem um punhado de boas canções como “Till the Whells Fall Off”, “Run Away from it All” e “Best Seat in the House” um rock para os melhores dias ensolarados. “I Keep Ramblin’” tem longo fraseado de guitarra que arremete, como o nome diz, a “Ramblin’ Man” dos Allman Brothers e traz participação do lap stealer Robert Randolph. Resta ainda “Mothern Mountain” um folk com harmonias vocais no estilo Crosby, Stills & Nash com participação dos Wood Brothers.

artigo publicado por popmix
tags

Apoema

27 de junho de 2018

Uma das grandes revelações da cena carioca fala sobre seu trabalho. Ouça a entrevista com a banda e assista ao clipe de ”Humano”

Apoema

 

Fotos:Rogério Faissal

Por Vitor Diniz

Com quatro integrantes de  18 anos de idade  que se conheceram em uma escola da Zona Sul do Rio de Janeiro, a banda Apoema lançou em 2016 um ótimo EP, com quatro faixas, e se tornou uma promissora aposta do rock brasileiro. Como entregam nessa entrevista, gravada no estúdio do grupo, também no Rio, eles estão trabalhando com o grande Charles Gavin em seu novo projeto. Lourenço Buarque (voz, guitarra e violão), Duda Alves (voz e baixo), Pedro Faissal (bateria) e Cecília Brandão (teclados) falam, entre outros temas, sobre o clipe da música “Humano”, que é assinado pelo diretor Felipe Leibold

www.facebook.com/apoemabanda

Apoema Cure

artigo publicado por popmix
tags

Música em pauta

21 de junho de 2018

Téo Ruiz fala sobre a Feira Internacional da Música do Sul

35744063_1720257514716593_95415670598008832_n

Está rolando em Curitiba mais uma edição da FIMS (Feira Internacional da Música do Sul). O evento acontece até o dia 23 de junho no Portão Cultural com mesas redondas, palestras e showcases entre tantas atividades.  A programação completa está no site www.fims.com.br
A FIMS, é organizada por Estrela Leminski e por Téo Ruiz. Em entrevista por e-mail, Téo nos conta mais detalhes sobre esta edição da feira.

Popmix – Qual a maior diferença entre o evento deste ano em relação a sua última edição?
Téo Ruiz – A  primeira edição foi menor em tamanho, mas mesmo assim muito surpreendente para uma primeira edição, tanto na quantidade de participantes,  quanto de negócios e parcerias fechadas. Mas ainda era mais restrita aos artistas do sul. Nesta edição, abrimos para artistas de outras partes do país e também da América Latina, no intuito de fortalecer ainda mais o intercâmbio e posicionar a produção musical do sul de forma mais efetiva no cenário nacional. Hoje em dia as parcerias são extremamente importantes, então nada melhor do que recebermos artistas em nossos eventos para estreitar esses laços fora de nossa região também. Tem também o eixo profissionalizante, com os workshops, que têm a pr oposta de colaborar com a profissionalização do setor, técnicos, artistas, produtores em geral que estão em começo de carreira.
Popmix – Como as novas mídias serão usadas no evento?
Téo Ruiz – As redes sociais desempenham um papel fundamental nos dias de hoje. Dessa forma, muitas estratégias de promoção e divulgação foram pensadas para essas plataformas, com o intuito de interagir com o público e ampliar a capacidade de difusão do evento.
Popmix – E sobre os shows, como serão realizados ?
Téo Ruiz – Teremos os showcases na mostra oficial, que são apresentações curtas de 20 minutos, dentro da programação diurna da FIMS. Esses estão divididos em 4 palcos: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná-Latino e Brasil. E em cada palco tem sempre um artista curitibano fechando a programação, como os anfitriões do evento. E na programação noturna, temos mais de 20 shows no circuito off, em 7 casas da cidade, que são parceiros da FIMS e proporcionaram todas as condições para esses eventos. Toda a programação está disponível no site, e credenciados da FIMS podem acompanhar tudo isso sem pagar entrada.
artigo publicado por popmix
tags

In The City

9 de maio de 2018

Assista ao vídeo de ”Trembling Light” e conheça o Porto de Luna.

 

Porto Capa

Foto: Alexandre Camboim

Por Vitor Diniz

 

Claudio Fontes é um dos precursores da cena mod brasileira e já tocou em várias bandas. Agora, além de seu trabalho solo, que já conta com três álbuns, ele segue forte na cena com o Porto de Luna. Em sua mais nova banda, Fontes (bateria,guitarra e voz) está ao lado de Walter Souza (guitarra e bateria), Vitória Haianne (guitarra e voz) e Matheus Leandro (baixo).

Assista ao vídeo de ”Trembling Light”, primeiro single do Porto de Luna e ouça no link abaixo, uma simpática gravação com alguns comentários, que os integrantes do Porto de Luna fizeram para o Popmix na Pizzaria e Lanchonete Real, em São Paulo. Nos links relacionados, está uma entrevista gravada com Claudio Fontes também na tradicional casa de lanches paulistana, em 2013.

 

+Ouça entrevista com Claudio Fontes gravada em 2013

+ Ouça os discos de Claudio Fontes no Spotify

 

 

artigo publicado por popmix
tags

Livro dos Mutantes e Mundo Ficção

2 de maio de 2018

Ouça a entrevista com Chris Fuscaldo !

CHRIS37-1 chris

Foto:Tatynne Lauria

Por Vitor Diniz

A  escritora, cantautora, pesquisadora musical, jornalista e blogueira, Chris Fuscaldo está na reta final do projeto de crowdfunding para lançar a sua Discobiografia Mutante. (Participe pelos site www.catarse.me/discobiografiamutante). O livro, como o nome  já entrega, olha para os álbuns de uma das mais importantes bandas brasileiras em todos os tempos. A multifacetada Chris, que já havia colocado no mercado a Discobiografia Legionária (Editora Leya), falou sobre Os Mutantes, sobre Legião Urbana e suas atividades em uma entrevista gravada no Reserva Cultural de Niterói.  Seu disco, que conta com  doze músicas, também foi enfocado. A faixa ”Mundo Ficção” dá nome ao trabalho e ao clipe que está disponível  abaixo . Ouça a entrevista e assista ao vídeo de ”Mundo Ficção”’.

chris-fuscaldo_mundo-ficcao_capa-590x538

chrisfuscaldo.com.br

www.facebook.com/chrisfuscaldooficial

Ouça o disco de Chris Fuscaldo no Spotify

 

artigo publicado por popmix
tags

Som Urbano

25 de abril de 2018

 

Banda paulistana Fábrica de Animais falou ao Popmix. Ouça a entrevista!

 

Fábrica de Animais -Letícia Kruger

 

Foto/Letícia Kruger

Por Vitor Diniz

Com dois discos lançados pela gravadora Baratos Afins, os integrantes do Fábrica de Animais receberam atenciosamente o Popmix para uma entrevista sobre seu trabalho. O papo foi gravado na casa da vocalista Fernanda D´Umbra, em São Paulo . Conversamos com ela e com Sérgio Arara (guitarra), Flávio Vajman (harmônica e acordeão), Paulo Akio (baixo) e Renato Borgonovi (bateria). A banda vai tocar em São Paulo no dia 28/04 na Rua Rodésia, comemorando os cinquenta anos da Mercearia São Pedro e no dia 10/05 no Sesc Pompéia, em um evento que marca os quarenta anos da Baratos Afins. Ouça a entrevista!

Fábrica de Animais-Van Campos

Foto/Van Campos

Fábrica de Animais na festa da Baratos Afins em 2013

 

https://www.facebook.com/fabricadeanimais/

Playlist do Popmix no Spotify com Fábrica de Animais

Assista ao Skywalkers lançado pela Baratos Afins ao vivo no Popmix em São Paulo!

 

artigo publicado por popmix
tags

Radiohead ao vivo!

21 de abril de 2018

Grupo inglês faz show emocionante no Rio e toca em SP nesse domingo.

 

Radiohead Sergio

 .
Texto: Vitor Diniz \ Foto: Sérgio Sieberer
 .
Um dos grandes shows no  Brasil em 2018! Mesmo ainda estando no mês quatro, é possível mandar essa afirmação,  pois foi muito complexo tudo o que a  inventiva banda britânica Radiohead ofereceu ao público do Rio de Janeiro, nessa sexta-feira (20 de abril).
O combo do cantor e ícone indie Thom York lotou a Arena Jeunesse  e mostrou com total categoria porque é tão cultuado em todo o planeta. Um concertaço que apontou para tantas vertentes da música pop. O Soundshearts Festival além do Radiohead, ainda contou com shows de Junun e Flying Lotus. A etapa paulistana terá um show a mais no caso com  o  Aldo, The Band.
Em noite inspirada, uma adorada instituição da cultura britânica, que surgiu em Oxford, disparava faixas das mais diferentes searas, com as mais diversas fórmulas. O palco, com sua concepção especial, meio numa onda, a fantástica fábrica de música trazia ainda duas baterias e tudo seguia lindamente em sintonia com um telão todo modernoso. Algo com a cara do Radiohead mesmo.
”Idioteque”, por exemplo, fez com que quase todos pulassem como num saboroso show de acento punk, mas começa por sua vez  com  ”links” eletrônicos. Sempre na  frente, essa  continua sendo a impressão que o Radiohead nos deixa, ao ver o grupo no palco. Com um set-list zero clichê, eles fizeram bonito na noite do Rio, sem esbarrar em obviedades. Seguiram olhando para   seu último e  ótimo disco, A Moon Shaped Pool, que data de 2016, mas dialogaram com muitas fases de sua carreira também.
 Thom Yorke estava como sempre, super cool, dos belos pares de tênis  até a cabeça que mexia muito por sinal. E os braços então, quando não empunhavam uma guitarra, violão, uma panderola ou estavam no piano, podiam fazer gestos que nos remetessem a Ian Curtis, do lendário Joy Division.
.
                             Atmosfera Envolvente
.
 A emoção de ver outra vez o Radiohead de perto ficou nítida com a reação da plateia maravilhosa, que era das mais interessadas e atentas. Assim como em 2009, na Praça da Apoteose(leia a matéria do Popmix sobre o show de 2009 no link relacionado), as músicas do disco In Rainbons, de 2007,  cresceram ao vivo e entregaram que o álbum merece ter status ainda maior. Um disco sensacional!
Na época, como era o trabalho da vez, In Rainbows  foi mais acionado.
Mas de fato os números do seminal OK Computer parecem agradar ainda mais. Esse álbum de 1997 que sem dúvida conta também com o carimbo de sensacional, parece ser o disco do coração de muitos que amam a cultura pop em geral, e suas faixas tiveram uma magia extra no show . ”Paranoid Android”, ao vivo se torna ainda melhor  e  levou com sua atmosfera envolvente toda a Arena  em seu  embalo. Para coroar uma  atuação incrível, ”Karma Police” fechou a noite e depois que os ingleses saíram do palco a galera continuou cantando um trecho de sua letra.
Lindo espetáculo! O Radiohead, que vai se apresentar neste domingo no Allianz Parque na capital paulista, deixou claro que sua obra,  é algo muito sério mesmo!
artigo publicado por popmix
tags