news

Liam Gallagher e seu belo disco!

25 de outubro de 2017

Debutando em carreira solo, ex-vocalista do Oasis lança ótimo álbum de rock

liam_gallagher_as_you_were (2)

 

“As You Were” que marca a estreia de Liam Gallagher como artista solo é brilhante e consegue superar até mesmo o inspiradíssimo primeiro registro de seu irmão Noel Gallagher, que ocorreu com o álbum Noel Gallagher’s High Flying Birds, e que data de 2011.
Noel, por sua vez, vai colocar no mercado seu terceiro disco no final de novembro, mas Liam, que está no topo das paradas este ano, chegou a lançar dois discos muito bons com o Beady Eye, em 2011(Differente Gear, Still Speeding) e em 2013 ( Be) . Infelizmente, como a banda de certa forma não decolou, estes álbuns que não superam com certeza As You Were, não foram acionados como mereciam.
Já “estouradaço” em vendas com todos os méritos, “As You Were” reforça o pensamento de que o astuto ex-vocalista do Oasis é um dos grandes cantores de rock do planeta.
Com seu vocal intenso, Liam sempre nos permite fazer certos ”percursos” pelas ruas e pubs do Reino Unido, mesmo que não esteja necessariamente cantando sobre temas assim. Afinal, a voz dele ficou conhecida nos anos 1990, como um dos símbolos da era Britpop.
No clipe de ”Chinatown”, uma das grandes baladas deste álbum, por exemplo, Liam aparece dando um giro por Londres. ”Wall of Glass”, que abre o disco, é impactante, cheira muito bem a blues e contém todo o vigor que uma faixa de rock merece. Seu compacto lançado antes do disco cheio, já mostrava a força da música em vinil, formato aliás que “As You Were” está também arrebentando nas lojas do UK. O disco chegou fácil ao primeiro lugar das paradas.
Uma edição de luxo, com o LP branco e vários outros ítens, é o ”Têm Que Ter” da vez entre os colecionadores e fãs do gênero. Nas baladas como as sedutoras “Peper Crown”, ”For What It’s Worth”, ”Universal Gleam” e a própria ”Chinatown”, Liam oferece aos ouvintes lindas melodias.

Rock&Roll Star

O Gallagher mais novo também acerta em cheio em rocks poderosos e empolgantes que entregam uma boa veia punk e também soul. Faixas que te darão vontade de aumentar o volume e que olham para clássicos dos anos 1960 e 1970 sem deixar de soarem atuais. São os casos das irresistíveis ”Come Back To Me”, ”You Better Run” e, especialmente, de ”Greedy Soul”. Liam já havia mostrado que os backing vocals femininos funcionam muito bem em seu trabalho com ” Bring The Light” , lançada em 2011 pelo Beady Eye.
Como Paul Weller fez também em sua estreia solo, Liam aposta numa foto de capa com seu rosto em destaque no melhor estilo John Lennon ou Paul McCartney, em McCartney 2, talvez. Algo que reforça a idéia de artista individual. E se a voz do irmão de Noel sempre lembrou a de Lennon, em “As You Were” esta semelhança parece ainda maior. E sobre a capa em questão, a autoria é de Hedi Slimane, badalado fotógrafo e estilista francês. A parceria de Liam com o produtor Greg Kurstin parece também fundamental para “As You Were” já ter se tornado um projeto tão vitorioso. Com uma banda muito competente a seu lado, o sempre estiloso Liam ”Pretty Green” Gallagher está fazendo grandes shows pelo mundo e no Brasil irá se apresentar em São Paulo, em março, no Lollapalooza. Sorte a nossa!

artigo publicado por popmix
tags

The Who em São Paulo

23 de setembro de 2017

             Cultuado grupo britânico toca pela primeira vez no Brasil.

21979281_1453406651401682_227054074_n

Finalmente o The Who, uma das mais importantes bandas da história, debutou em solo brasileiro com um inesquecível concerto de rock na noite desta quinta-feira, em São Paulo.

A seminal banda inglesa liderada pelo vocalista Roger Daltrey e pelo guitarrista Pete Townshend emocionou seus fãs que precisavam ver de qualquer maneira o grupo tocar clássicos da cultura rock, como ”My Generation” e ”Baba O’Riley”. Essa já na fase final do show, que levou muitos fãs ao Allianz Parque, acabou sendo a melhor faixa da noite que fez parte do São Paulo Trip.

Daltrey e Townshend ratificaram mais uma vez o conceito de duplas que é tão forte no rock britânico e estavam em uma sintonia perfeita. Em ”Bargain”, se revezaram divinamente nos vocais. No telão, algo que arrepiava aqueles que amam o The Who. Imagens lindas da Inglaterra mod dos anos 1960 em especial davam um charme ainda maior ao evento que também contou com shows de The Cult e Alter Bridge.

A plateia vibrava quando imagens de Keith Moon, o lendário baterista do Who falecido em 1978, surgiam no telão. O mesmo acontecia em relação a John Entwistle que morreu em 2002. Baixista elegante que ao lado de Pete, Roger e Keith deu start a trajetória sagrada deste gigantesco  patrimônio da cultura bretã que é o The Who. Pete Townshend ao longo da noite girou várias vezes seu braço, fazendo o icônico gesto que virou uma de suas marcas e a galera a-do-rou!

No palco, o The Who mostrou como uma banda pode ser contundente e com a sua pegada roqueira afiada, sem jamais perder a sua elegância mod. Além dos dois mentores do cultuado grupo que surgiu na década de 1960, quem também se destacou muito na performance realizada no estádio do Palmeiras, foi o baterista Zak Starkey, filho de Ringo Starr, e que já havia se apresentado no Brasil com o Oasis.

Zak sabe que o The Who sempre se preocupou com sua estética, e mandou muito bem com sua estilosa jaqueta Adidas. No Allianz Parque, os fãs de todas as idades pareciam estar vivendo uma noite mágica. Nesse sábado, a festa será no Rock in Rio e na terça, em Porto Alegre.

Finalmente vimos o The Who de perto!

artigo publicado por popmix
tags

Painel Rock

21 de setembro de 2017

Assista ao especial com Hell Oh!,  Bicicleta sem Freio  e um painel altamente pop
 .
21905414_1451249058284108_794844510_n

Foi ao ar no último sábado (9 de setembro), a terceira parte do especial do Popmix, registrando a inauguração do painel produzido pelo Bicicleta sem Freio, de Goiânia, em Nova Friburgo-RJ. O evento contou com um inesquecível show-surpresa do grupo Hell Oh! e marcou os 50 anos da loja AMIL, que também apoia o Popmix  na TV Zoom.
Confira tudo que rolou nesse evento nos programas abaixo, produzidos pelo Popmix junto à TV Zoom.

artigo publicado por popmix
tags

Badly Drawn Boy na Irlanda

3 de agosto de 2017

Cantor inglês inclui cover do Stone Roses em show em Galway

040506_samsung_8.jpgkhndfw

Para quem aprecia boas melodias nada melhor do que ver um velho conhecido da cultura indie tocando seus clássicos de forma bem intimista. O cantor e compositor inglês Badly Drawn Boy se apresentou dentro do Festival Internacional de Arte de Galway na Irlanda, e desfilou na noite deste sábado, suas pegajosas pop songs no palco do Mooroe’s Live. O ótimo lugar que é um mix de Pub e casa de shows tipo o Barfly em Londres ou o The Social em Orlando , contou com um público atento e tambem adulto digamos. No palco apenas o homem que escreveu faixas como, ‘’Something To The About ‘’ e ‘’Silent Sigh ‘’, famosas mundialmente graças ao delicioso filme Um Grande Garoto, baseado na obra do também ultra inglês Nick Hornby. Badly Drawn Boy começou sua performace no violão no melhor estilo singer-songwriter. Depois empunhou uma guitarra e fez efeitos marcantes em, ‘’ Once Around The Block ‘’, para ainda usar um teclado que o esperava no fundo do palco. Desde de 2010 que eu  não via um show de Badly Drawn Boy, quando ele tocou dentro da mega loja da Rough Trade em Londres . Naquela oportunidade ele lançava o disco It’s What I’m Thinking (Part One: Photographing Snowflakes). Mas neste show em Galway, ele nos ofereceu também uma bela performance e no final entregou uma surpresa muito especial a todos. Quando já parecia deixar o palco, o inglês resolveu fechar a noite com uma versão inesquecível de ‘’I Wanna Be Adored’’, de uns certos heróis de Manchester chamados Stone Roses. A galera A-do-rou!. Tal encerramento fez com que todos saíssem ainda mais satisfeitos pelas ruas charmosas da região central da quarta maior cidade da Irlanda.

20644046_1407409376001410_301233008_n

artigo publicado por popmix
tags

Lindo Sonho Delirante

17 de julho de 2017

Bento Araujo fala sobre seu indispensável livro! Ouça!

lindosonho

Por Vitor Diniz
Colaboração:Gustavo Valladares

O jornalista, colecionador de discos e pesquisador paulistano Bento Araujo, lançou um livro fundamental para quem pretende revisitar um importante período da música brasileira. Lindo Sonho Delirante-100 Discos Psicodélicos do Brasil (1968-1975), é daqueles itens obrigatórios para quem não vive sem música. Nesta entrevista gravada por Skype, Bento fala sobre seu livro , e também sobre o lendário Poeira Zine.

 

Conheça o site do Poeira Zine

artigo publicado por popmix
tags