Obrigatórios!

31 de dezembro de 2012

Assista aos dez melhores clipes internacionais de 2012, selecionados pelo Popmix.

OS DISCOS DO ANO!!!

25 de dezembro de 2012

Por Vitor Diniz

Popmix aponta os vinte melhores álbuns internacionais de 2012! Confira a lista!


1 – Jack White – Blunderbuss

Jack White e a música do ano

2 – Paul Weller-Sonik Kicks

Popmix confere lançamento de Sonik Kicks em Londres

3 – Richard Hawley – Standing At The Sky’s Edge

Na Holanda Popmix acompanha show de Richard Hawley

4 – Reptar-Body Faucet

5 – Tindersticks-The Something Rain

Tindersticks e o Popmix na Suiça

6 – Carice Van Houten- See You on the Ice

7 – The Milk- Tales From The Thames Delta

8 – Michael Kiwanuka – Home Again

+ Leia resenha de Home Again no Popmix

9 – The Moons- Fables Of History

The Moons lança clipe com Paul Weller

10 – Raveonettes- Observator

Popmix entrevista Raveonettes em Londres-Assista

11 – Mystery Jets-Radlands

+ Mystery Jets faz show em Oslo e Popmix conta como foi

12 – The XX-Coexist

13 – Django Django-Django Django

14 – Neil Young- Psychedelic Pill

 

15 – Toy-Toy

16 – Spector-Enjoy It While It Lasts

17 – Tame Impala-Lonerism

18 – Jake Bugg-Jake Bugg

19 – Leonard Cohen-Old Ideas

20 – Field Music-Plumb

Brasil é ”tri” no Britpop

29 de novembro de 2012

.Texto e fotos – Vitor Diniz

Deu a lógica e o Pulp fez um vibrante e delicioso show na noite desta quarta-feira, 28 de novembro, na Via Funchal, em São Paulo. Assim, o Brasil completa a tríplice sagrada do chamado Britpop, já que Blur e Oasis tocaram por aqui no passado.( Na verdade somos Tetra, se pensarmos no Suede). Em vários números, o grupo de Sheffield, que ficou dez anos na geladeira, causou emoção como na clássica ”Disco 2000”, primeiro momento de arrepiar de verdade, embora a abertura, com ”Do You Remember The First Time”, já tenha promovido um belo frisson nos presentes, que, se não lotaram, deixaram o local com um aspecto do tipo ”casa cheia”.

Letreiro do palco do show do PulpA troca de energia entre o cantor Jarvis Cocker e seus fãs era marcante. O inglês, que se deslocava pelo palco inteiro, foi performático e justificou a fama de porta-voz da geração dos anos 1990, no Reino Unido. Em ”This Is  Hardcore”, atuou com dramaticidade e foi perfeito!

De volta aos anos 1990

”Common People”, o grande hino do Pulp, provocou tal reação, que,  os indies já imaginavam, e com a logo gigante e colorida da banda piscando ao fundo do palco, era possivel se sentir na Inglaterra de Tony Blair, de Kate Moss e das Spice Girls, de tão pulsante que foram aqueles minutos em especial.

 

Jarvis, que interagiu muito com a plateia, por vezes em português, com um papel como apoio, perguntou se a moçada não iria trabalhar de manhã, em tom de pilha (seriam as pessoas comuns?), porque ninguém queria deixar a banda ir embora. Jarvis ouviu um sonoro “nnnãããooo”. Generosos e agradecidos sempre, os britânicos tocaram por cerca de duas horas.

Belo show, com o som da Via Funchal redondo, e com um público interessado e participativo. Nota dez!

O dia em que encontrei Jarvis Cocker

Dívida muito bem paga

22 de outubro de 2012

 Texto e fotos: Vitor Diniz

A cantora americana Beth Ditto e sua banda The Gossip brindaram na noite deste domingo os empolgados cariocas que foram ao Circo Voador, no Rio de Janeiro, após a cidade ser castigada com forte chuva.

A banda, que nos últimos anos foi das mais incensadas pela mídia musical, recompensou quem esperou até às 22h30 da noite dominical, na alagada região da Lapa. Beth, também destaque sempre em editorias de moda e referência cool, com sua postura e discurso ”nem aí para a boa forma”, foi a estrela da noite, é claro.

        

A voz de diva soul da americana e a levada disco de sua banda, que havia tocado na véspera no festival Planeta Terra, em São Paulo, condensa tudo com maestria. Com bom tempero punk, deram graça ao show, que contagiou o público, em ótimo número na casa.

Beth Ditto fez de tudo um pouco: cantarolou a música da novela que virou febre no Brasil, brincou com um ventilador, que supostamente amenizava o imenso calor que ela sentia, colocou um fã no palco e cantou com ele. Uma artista completa, cantora de vozeirão apurado que não perdeu em nenhum segundo o comando das ações e das atenções.

Com cerca de uma hora e meia de apresentação, ela esbanjou carisma e simpatia e se redimiu, ao lado de seu Gossip, pelos dois “canos” que deu nos brasileiros, quando cancelou compromissos por aqui. ”Standing in the way of control”, grande hit da banda, fez, no final, com que a galera se esbaldasse como se não houvesse segunda-feira.

O Kasabian vem aí

28 de agosto de 2012

Por Vitor Diniz

Uma das mais importantes bandas do rock inglês voltará a tocar no Brasil. O Kasabian, que se apresentou por aqui em 2007, repete a parceria com o Festival Planeta Terra, no qual foi uma das atrações em sua primeira e única visita ao país. Novamente na programação do festival paulistano, o grupo de Leicester desta vez ”traz na mala”, o consagrado disco Velociraptor! de 2011, o quarto de sua trajetória e que conta com músicas como ”Goodbye Kiss’ e ”Days Are Forgotten”.
O Kasabian faz um indie rock ”classudo”, com pitadas de eletrônica, e coloca em seu som algumas das melhores referências que o rock britânico produziu nas últimas décadas, como Stone Roses e Primal Scream.

O grupo do vocalista Tom Meighan e do guitarrista Sergio Pizzorno ficou ainda mais famoso por conta da inclusão da música ”Fire” na abertura oficial dos jogos do campeonato inglês de futebol.

O Planeta Terra acontecerá no dia 20 de outubro, no Jockey Club de São Paulo e terá também o Suede, outro gigante da cultura pop britânica entre suas alternativas da cena pop.

Pouco conhecido no Brasil, Kasabian encantou seus fãs em ótimo show