Brasil é ”tri” no Britpop

29 de novembro de 2012

.Texto e fotos – Vitor Diniz

Deu a lógica e o Pulp fez um vibrante e delicioso show na noite desta quarta-feira, 28 de novembro, na Via Funchal, em São Paulo. Assim, o Brasil completa a tríplice sagrada do chamado Britpop, já que Blur e Oasis tocaram por aqui no passado.( Na verdade somos Tetra, se pensarmos no Suede). Em vários números, o grupo de Sheffield, que ficou dez anos na geladeira, causou emoção como na clássica ”Disco 2000”, primeiro momento de arrepiar de verdade, embora a abertura, com ”Do You Remember The First Time”, já tenha promovido um belo frisson nos presentes, que, se não lotaram, deixaram o local com um aspecto do tipo ”casa cheia”.

Letreiro do palco do show do PulpA troca de energia entre o cantor Jarvis Cocker e seus fãs era marcante. O inglês, que se deslocava pelo palco inteiro, foi performático e justificou a fama de porta-voz da geração dos anos 1990, no Reino Unido. Em ”This Is  Hardcore”, atuou com dramaticidade e foi perfeito!

De volta aos anos 1990

”Common People”, o grande hino do Pulp, provocou tal reação, que,  os indies já imaginavam, e com a logo gigante e colorida da banda piscando ao fundo do palco, era possivel se sentir na Inglaterra de Tony Blair, de Kate Moss e das Spice Girls, de tão pulsante que foram aqueles minutos em especial.

 

Jarvis, que interagiu muito com a plateia, por vezes em português, com um papel como apoio, perguntou se a moçada não iria trabalhar de manhã, em tom de pilha (seriam as pessoas comuns?), porque ninguém queria deixar a banda ir embora. Jarvis ouviu um sonoro “nnnãããooo”. Generosos e agradecidos sempre, os britânicos tocaram por cerca de duas horas.

Belo show, com o som da Via Funchal redondo, e com um público interessado e participativo. Nota dez!

O dia em que encontrei Jarvis Cocker

Ugly Kid Joe no Brasil

15 de agosto de 2012

Grupo da Califórnia que ganhou fama nos anos 1990 , se apresentou em SP para alegria dos fãs.

.

.

.

.

.

.

.

.

Noel Gallagher e um golaço

3 de maio de 2012

Texto e foto – Vitor Diniz

        Parecia um duelo entre Manchester City e Palmeiras, já que eram muitas as pessoas desfilando com a camisa azul do time inglês, nos arredores  do estádio Palestra Itália, em direção ao show de Noel Gallagher no ”vizinho” Espaço das Américas, em São Paulo, na noite dessa quarta-feira, 2 de maio.. Para completar o clima ”Pop-Boleiro”, uma grande bandeira verde do time do Parque Antártica era exibida na pista em frente ao palco, em que um dos mais ferrenhos torcedores do virtual campeão inglês  iria cantar. E, na verdade, havia mais fãs com camisas do City do que, por exemplo, do Oasis, a banda que um dia, Noel e seu irmão Liam, fizeram ser a mais querida da Inglaterra. Liam que, lembremos, essa semana roubou a cena em um jogo em Manchester.

Feliz com a fase de seu time, Noel, que se alternou entre guitarras e violões,  foi pontual e começou com, ”(It’s Good) To Be Free”, como tem feito nestes shows em que divulga seu disco, Noel Gallagher’s High Flying Birds.

Assim como no concerto em que o Popmix cobriu em Zurique, em março deste ano, na Suíça, essa  música que data dos tempos de Oasis mostrou que não é (apesar de muito boa), tão contundente para uma abertura de um show deste porte. E olha que em São Paulo ela foi muito cantada por um público que esteve fechado com seu ídolo o tempo todo e chegou a gritar seu nome em coro muitas vezes.

Já “Mucky Fingers”, que vem na sequência, foi bem mais contagiante,  e passou por cima de sua antecessora, com uma energia incrivel e deu, ai sim, de vez, ”calor” a uma noite em que São Paulo ainda contou com clima de inverno fora de época.

“Everybody’s on the Run” foi  a primeira da fase ”solo” e  ”Dream On”, que venho no embalo, foi das mais marcantes do show.

Preterida por Noel em seu  álbum, a ótima ”Freaky Teeth” foi, sem dúvida, o momento mais roqueiro do show. Agora fica ainda mais claro que o lado punk do Oasis estava mais atrelado à persona de Liam,  e não há como negar que a sujeira rock and roll do grupo, o Gallagher mais velho deixou ir embora  com o Beady Eye.

Muitos pediram o hit ”The Masterplan” e o que Noel disse??

Quando os fãs pediram ”The Masterplan”, um clássico ”Oasisiano”, sabe o que o famoso ranheta disse aos paulistanos? Bem, antes ele fez apenas negativo com a  cabeça e completou falando que quem quisesse escutar essa canção poderia pegar o disco  Stop The Clocks do Oasis e dar o play.

“Let the Lord Shine a Light on Me”, que está no lado B de “AKA… What a Life!”, foi tocada pela primeira vez e sinalizou  um avanço,  pois Noel e sua excelente banda não alteram quase nada no set list desta turnê. Talvez uma mudança ou duas possam ocorrer no show desta quinta-feira, no Rio de Janeiro, a ser realizado no Vivo Rio.

Para reviver a ”Oasismania”, o homem que escreveu “Whatever” e “Don’t Look Back In Anger”, cantou ambas e levou tanto à euforia quanto às lágrimas, boa parte dos mais de seis mil presentes..

+ Popmix acompanhou show de Noel Gallagher na Suíça

+ UOL confere entrevista coletiva de Noel em SP

+ Assista especial Oasis no Popmix

The Ting Tings no Cine Joia

2 de maio de 2012

Texto e foto – Vitor Diniz

A dupla inglesa The Ting Tings fez um energético show no Cine Joia, em São Paulo, nesta terça-feira. Oriunda de Manchester, cidade também de Noel Gallagher, que toca hoje na cidade, o The Ting Tings contou com um ótimo público, apesar da fria noite paulistana.

Sem nenhum músico de apoio e apenas com Katie White e Jules de Martino dando conta de guitarras, baixo, bateria, bumbos, piano e vozes, o The Ting Tings contagiou os presentes com seu rock dançante, com embalagem house e indie. A lourinha Katie parecia estar fazendo seu último show, tamanha era sua empolgação e, ao lado do não menos eficiente Martino, mostraram o quanto atitude, conceito e uma performance arrojada podem fazer a diferença.

”Meu português é uma m*, então vamos dançar!”

Formado na Inglaterra em 2006, e com dois discos no mercado, o duo que se tornou famoso em todo o mundo graças ao hit “That’s Not My Name”, guardou seu single dourado, que ganhou tantas pistas de dança em 2008, para o final. Katie convocou nesse momento, paulistanos e afins, para cantarem a plenos pulmões.

”Estamos muito felizes de estar pela segunda vez em São Paulo, mas como meu português é uma m*, vamos dançar!”, disse no início da noite, lendo em um papel com toda sua discolância, a menina que é a voz central do The Ting Tings.

E pensar que na noite anterior os também ingleses do grupo James fizeram um belo show no mesmo palco! Que venham Noel Gallagher nessa quarta-feira e o The Kooks na próxima semana!

A terra da garoa agradece.

Feriado Indie

30 de abril de 2012

Por Vitor Diniz

A semana será cheia de opções para quem não vive sem música na maior cidade brasileira. Uma certa invasão inglesa irá acontecer nos palcos da capital paulista entre segunda-feira (29 de abril) e quarta-feira (dia 2 de maio).

O cultuado grupo James (foto) começa a sequência de concertos na segunda-feira, com sua atuação no Cine Joia, local que receberá também a curiosa e eficiente dupla The Ting Tings, na noite seguinte. Já na quarta-feira, um duelo britânico com Noel Gallagher e o seu High Flying Birds, tendo a concorrência dos veteranos músicos do Duran Duran, que tocarão no Credicard Hall, enquanto o ex-Oasis estiver em ação no Espaço das Américas. Os camarotes para o show do Duran Duran já estão esgotados.

Veja todos os detalhes aqui!