Band of Horses in Rio

20 de maio de 2012

Texto e fotos – Vitor Diniz

Uma das mais elogiadas bandas da cena indie, o Band Of Horses tocou pela primeira vez no Rio de Janeiro, neste sábado (19 de maio), no Vivo Rio.
O grupo de Seattle foi uma das atrações do Festival Lollapalooza, em São Paulo, recentemente, e volta à capital paulista nesta segunda-feira (21 de maio), para show que promete gerar um culto indie no Beco 203, na Rua Augusta, que, por certo, estará repleto.

.No Rio, a banda, revelada pela lendária gravadora Sub-Pop, tocou para poucos em uma casa de porte, digamos, ”mega” para um grupo com pouco espaço na grande mídia brasileira e com status de cult por aqui. Era fácil andar pela pista quase vazia.
Para o show de São Paulo, o fato de a banda ter participado do programa Altas Horas, da Rede Globo, pode ajudar ainda mais a agitar a segundona, que já deve ser frenética, por conta dos indies que frequentam o Baixo-Augusta, região aonde será realizado o show.

Mais rock e menos indie!

Em solo carioca, o Band Of Horses cometeu uma atuação superdecente. Os amplificadores Vox e o órgão de madeira (estilo The Doors) no palco já entregavam que aqueles que estavam ali para a festa do campeonato mundial de surf veriam algo muito bacana. Mais pesados no palco do que no disco, os americanos desfilaram suas canções que exalam o tempero sulista, cheias de ecos country de bandas que formaram o berço denso do rock ianque.

A força das guitarras fala mais alto ao vivo do que a atmosfera melancólica dos três álbuns e o lirismo indie fica, por vezes, em segundo plano, dando espaço a uma camada de guitarras de uma autêntica banda de rock and roll.
A lindissima ”Cigarettes, Wedding Bands” começou o show, dando uma pista errada da apresentação, já que depois, eles aumentaram o volume e fizeram um som cru e roqueiro na maior parte da noite, usando músicas de seus três álbuns.

“Eu volto”

4 de maio de 2012

Texto e fotos -Vitor Diniz

 Assim como fez em São Paulo na véspera, Noel Gallagher tocou no Rio de Janeiro números do Oasis, e quase todas as músicas de seu High Flying Birds, na noite de ontem, 3 de maio.

Com cerca de 3.800 pessoas no Vivo Rio, fazendo bonito no que diz respeito à idolatria pop, o ex-mentor do Oasis contou com fãs sedentos por suas grudentas canções.

Aparentemente um tanto mais descontraído que em São Paulo, Noel desfilou seu cancioneiro pop pelo Vivo Rio com maestria. ”Half The World Away” foi mais densa que no show anterior, mas ”Freaky Teeth” já não foi tão marcante quanto em solo paulistano e passou meio batida, o que não aconteceu com ”Aka… What a Life”, tão expressiva, que deixou claro nesta noite que seria ideal para abrir os shows desta turnê.

 Não é tão coerente pensar que lançando um álbum, um artista comece um show com músicas de sua ex-banda. Ele está lançando disco, e só o aciona na terceira música em diante?

Cariocas queriam ”Rockin’ Chair”

Antes de voltar para a parte final do show, o músico inglês de quarenta e quatro anos ouviu a pista vip inteira cantar ”” Rockin’ Chair”, do Oasis. Era uma espécie de pedido coletivo, que foi prontamente ignorado pelo ídolo em questão.

Sem mudar uma música em relação ao show de São Paulo, talvez o grande diferencial a favor do show carioca tenha sido o Vivo Rio ser menor que o espaço das Américas, local aonde Noel tocou na capital paulista. Desta forma, tudo parecia um pouco mais azeitado no palco e o som de ”Talk Tonight” desceu lindamente com a plateia indo no embalo de sua melodia.

Provando estar no mesmo time dos grandes compositores do rock inglês, como Ray Davies e Ian McCulloch, por exemplo, Noel Gallagher disse, ao final da noite, que tinha sido incrivel estar no Brasil e prometeu voltar. Depois, feliz da vida, viu o Rio de Janeiro cantar “Don’t Look Back In Anger” em alto e bom som. Noel parecia apenas um maestro.

 + Popmix acompanhou show de Noel Gallagher na Suíça

+ UOL confere entrevista coletiva de Noel em SP

+ Assista especial Oasis no Popmix